“Regional Imperial”

Você está aqui: Início » Catálogo » Biografias de músicos » “Regional Imperial”

Biografia de “Regional Imperial”

Tendo como base e inspiração os grandes regionais da história da música popular brasileira, o Regional Imperial surge com a proposta de continuar propagando esse tipo de acompanhamento, tão tradicional e tão nobre. Nascida desde os primórdios da música popular brasileira (ainda no século XIX), a formação contando com dois violões, um cavaquinho e um pandeiro serviu de base para inúmeros instrumentistas solistas e cantores, atuando em discos, programas de rádio e exibições públicas. A denominação “Regional” surgiu a partir dos anos 30, quando grupos desse tipo proliferaram em gravações e em emissoras radiofônicas. Criado a partir da reunião de quatro jovens músicos, o grupo tem como referência, sobretudo, os regionais de Benedito Lacerda, Canhoto e Época de Ouro, que fizeram escola na MPB. Depois de muito ouvir e pesquisar sobre esses brilhantes regionais e freqüentar incontáveis rodas de choro em São Paulo e no Rio de Janeiro, esses jovens resolveram montar um grupo que pudesse escudar cantores e instrumentistas variados, revigorando um tipo de acompanhamento pouco executado atualmente. Por motivos não muito bem explicados, a formação de regionais hoje tornou-se rara, pois mesmo entre conjuntos de choro é mais comum haver apenas um violão, minimizando assim o orçamento e o resultado sonoro. Desta forma, e lançando mão da instrumentação tradicional dos regionais, o grupo é formado por João Camarero (violão de 7 cordas), Junior Pita (violão), Lucas Arantes (cavaquinho) e Rafael Toledo (pandeiro). Ao conjunto deu-se o nome de Regional Imperial, para reforçar a nobreza inerente aos regionais de outrora, e que o grupo faz questão de homenagear. Sem se prender a conservadorismos e também fugindo de uma modernização sem estofo, o Regional Imperial busca uma sonoridade que, respaldada pela tradição, possa também ter sua originalidade, a partir de suas próprias interpretações. A proposta de não ter um solista fixo aumenta as possibilidades do conjunto, no intuito de que ele possa servir como base para vários artistas convidados.

Álbuns com a participação de “Regional Imperial”